Desde o final de 2018 a Honda CRF 250F ocupa um lugar especial e exclusivo no mercado brasileiro, atendendo plenamente os anseios de quem deseja uma máquina pensada exclusivamente para o fora de estrada, na qual a performance é aspecto que vem acompanhado da tradicional qualidade e robustez de todas as motos Honda.

Trilheiros de fim de semana assim como os que fazem do off-road um esporte, participando de provas de modalidades como Enduro, Rali ou Cross Country, tem nas Honda CRF 250F produzidas em Manaus-AM, um modelo acessível e competente, que concilia qualidades inigualáveis, capaz de atender de modo pleno o crescimento da prática do off-road no Brasil.

As mais duras provas do off-road nacional servem de verdadeiro laboratório de testes para os pilotos das equipes Honda Racing demonstrarem, na prática, que tanto a Honda CRF 250F como sua antecessora, a CRF 230F, são motocicletas prontas para qualquer desafio, incluindo as competições de alto rendimento. Na temporada 2021, a Honda CRF 250F é destaque em todos os campeonatos em que participa.

CRF 250F 2022.

Se nas equipes oficiais Honda a CRF 250F atende diferentes modalidades e perfis de usuários, o mesmo ocorre entre os praticantes de trilhas e passeios no ambiente off-road. A última edição do Super Bananalama, em 2019, por exemplo, evento reconhecido pelo livro dos recordes como o maior encontro de trilheiros do mundo, contou com 4.609 motocicletas inscritas, das quais 81% eram modelos Honda – grande parte formada pelos modelos nacionais off-road CRF 250F e CRF 230F.

Esta faceta versátil e “de briga” inspirou os designers da Honda, que na versão 2022 terá cor e grafismo diretamente herdado das Honda CRF 450/250 importadas, que em versões R ou RX são as máquinas profissionais para as disputas de competições do motociclismo off-road nacional e internacional.

Dar às CRF 250F “made in Manaus” o mesmo visual de motos como a CRF 450 Rally, bicampeã do Dakar (2020 e 2021), e da CRF 450RW, campeã do mundial de motocross na MXGP (2019 e 2020), foi uma atitude que faz jus à competência da Honda CRF 250F, campeã da categoria Brasil destinada à motos nacionais das principais provas brasileiras como Rally dos Sertões, Rally Jalapão e RN 1500 desde seu lançamento.

Tecnicamente, a Honda CRF 250F mantém o moderno motor monocilindro 4T SOHC de quatro válvulas, arrefecido a ar, alimentado pelo sistema PGM-FI, com potência máxima de 22,2 cv a 7.500 rpm, e torque máximo, de 2,28 kgf.m, a 6.000 rpm. É dotado de partida elétrica adequada ao uso frequente, típico na prática do off-road. A transmissão de cinco velocidades acoplada à uma robusta embreagem é garantia de eficiência, mesmo em condições de uso extremas.

Na parte ciclística, o destaque é o chassi tipo berço duplo fechado, feito com tubos de aço de elevada especificação, que surpreende pela inovadora arquitetura Twin Tube, com tubos que da coluna de direção descem rumo à fixação da balança traseira, arquitetura que favorece a maneabilidade.

A suspensão dianteira tem 41mm de diâmetro e 240mm de curso, na traseira o conjunto mola-amortecedor com regulagem na carga da mola está ligado à balança de suspensão pelo sistema Pro-Link de amortecimento progressivo. Na frenagem, o disco dianteiro tipo wave de 240mm de diâmetro tem cáliper de pistão duplo. Atrás o disco, também tipo wave, tem 220 mm de diâmetro e cáliper de pistão simples. Completam a ciclística rodas raiadas com aros de 21” à frente e 18” atrás.

Com peso a seco limitado a 114 kg, distância do banco em relação ao solo de 883 mm e ergonomia voltada para simplificar a pilotagem, seja dos mais experientes pilotos como também – e principalmente – dos iniciantes, a Honda CRF 250F é uma motocicleta fácil e versátil, que estimula o progresso da técnica de pilotagem fora de estrada. Outra qualidade não indiferente é sua resistência, não apenas a do conjunto mecânico, mas das carenagens e partes plásticas em geral, projetadas para resistir aos frequentes contatos com o solo que são típicos off-road.

A Honda CRF 250F 2022 estará disponível nas concessionárias Honda de todo o território nacional a partir de 2 de agosto de 2021 em cor única, vermelha. O preço público sugerido é de R$ 17.550,00, base o Distrito Federal, e não inclui despesas com frete ou seguro.

O alemão Manuel Lettenbichler da KTM selou um hat-trick de títulos do Red Bull Romaniacs no sábado para vencer a quarta rodada do 2021 FIM Hard Enduro World Championship.No quarto dia daprova, em torno de Sibiu, na Romênia, viu o Hard Enduro Rallye mais difícil do mundo chegar ao fim após uma semana de corridas épicas com Lettenbichler, uma classe à parte na Classe Ouro.

Lettenbichler tinha uma noção virtual da vitória geral - graças a uma vantagem saudável de 20 minutos - enquanto Wade Young de Sherco precisava de um dia final sólido para selar o segundo lugar com Mario Roman, Billy Bolt da Rockstar Energy Husqvarna Factory Racing e Jonny Walker da Beta perseguindo atrás.

Em plena sintonia com o terreno, o alemão estava no seu melhor novamente com o sul-africano Young jogando com segurança assim que Lettenbichler e Bolt alcançaram o segundo lugar geral e Roman cobrando forte pelo terceiro.

Para Bolt, as esperanças de espelhar sua vitória no Abestone Hard Enduro nunca se concretizaram, e ele teve que se contentar com o quarto lugar geral com Lettenbichler agora com quatro pontos de vantagem no topo da classificação do campeonato de 2021. "Estou nas nuvens agora para ganhar esta corrida e também torná-la minha terceira vitória consecutiva do Red Bull Romaniacs. Foi uma semana muito boa para ser justo. Teve tudo, dias longos e difíceis em um ritmo insanamente alto. Tenho que dar isso a Graham Jarvis, ele estava pegando fogo nos primeiros dias e é uma pena que ele se machucou. Com certeza ele puxou meu ritmo e forçou o nível tão alto. Acho que foi por isso que consegui uma vantagem tão forte também. No geral, estou muito animado e pronto para aproveitar esta vitória. Também estou liderando o campeonato agora, então há muito o que comemorar nesta semana. " disse o campeão da prova.

Red Bull Romaniacs (Gold Class)
 

1. Manuel Lettenbichler (KTM) 19:40:46

2. Wade Young (Sherco) 20:08:14

3. Mario Roman (Sherco) 20:13:46

4. Billy Bolt (Husqvarna) 20:19:00

5. Jonny Walker (Beta) 20:30:55

6. Taddy Blazusiak (GASGAS) 20:46:04

7. Trystan Hart (KTM) 20:58:03

8. Teodor Kabakchiev (Husqvarna) 21:12:08

9. Michael Walkner (GASGAS) 21:14:46

10. Dominik Olszowy (KTM) 22:14:24
 

Geral do Mundial Hard Enduro
 

1. Manuel Lettenbichler (KTM) 37pts

2. Billy Bolt (Husqvarna) 33

3. Wade Young (Sherco) 25

4. Mario Roman (Sherco) 24

5. Jonny Walker (Beta) 24

6. Taddy Blazusiak (GASGAS) 20

7. Graham Jarvis (Husqvarna) 15

8. Michael Walkner (GASGAS) 14

9. Alfredo Gomez (Husqvarna) 13

10. Teodor Kabakchiev (Husqvarna) 11

1ª Etapa - 15/08

Cidade: Salto-SP

Local:  Fazenda Ituau (Terra de Gigantes)

Endereço do local: Estrada Velha Salto Capivari, Km 07, s/n - Chapada, Salto - SP, 13320-000

Horário da largada: 10:00hs

INSCRIÇÕES:

O prazo para pagamento da inscrição antecipada, é de até 5 (cinco) dias antes da realização do evento, ou seja, efetivar o pagamento ate na terça-feira que antecede a PROVA.

Os valores de inscrição são:

Inscrição antecipada  – R$ 180,00 (homens)
Para os pilotos da EF – Feminina o valor é de - R$ 120,00

Na loja DICA BIKE WORLD – R$ 160,00 (homens) / R$ 100,00 (feminina) / R$ 60,00 (kids) 

(nos envie o comprovante de compra na loja para garantir o desconto)

No dia do evento – R$ 200,00 (homens)

No dia do evento - R$ 150,00 (Feminina)

O valor da inscrição para as categorias “KIDS” será de R$ 80,00 pagas antecipadamente, e de R$ 100,00 no dia do evento, sujeito a disponibilidade;

CATEGORIAS

E1 – até 200cc para motores dois tempos, e até 250cc para motores quatro tempos.

E2 – de 201cc até 250cc para motores dois tempos, e de 251cc até 350cc para motores quatro tempos.

E3 – Acima de 251cc para motores dois tempos, e acima de 351cc para motores quatro tempos.

E4 - Nacional Pró, para motos nacionais.

EJ – PILOTOS até 23 (vinte e três) anos, completados no ano corrente.

E35 – PILOTOS acima de 35 (trinta e cinco) anos completados no ano corrente.

E40 Importada – PILOTOS acima de 40 (quarenta) anos completados no ano corrente, com motos importadas.

E40 Nacional – PILOTOS acima de 40 (quarenta) anos completados no ano corrente, com motos Nacionais.

E45 – PILOTOS acima de 45 (quarenta e cinco) anos completados no ano corrente.

E50 – PILOTOS acima de 50 (cinquenta) anos completados no ano corrente.


YOUTH – pilotos até 18 anos, anos completados no ano corrente.


EA Importada- “AMADORES” – PILOTOS com motos importadas que no ano anterior, não estiveram no ranking dos TOP 3 2020 em todas as categorias da CSPE.


EA Nacional- “AMADORES” – PILOTOS com motos Nacionais que no ano anterior, não estiveram no ranking dos TOP 3 2020 em todas as categorias da CSPE.

EF – para PILOTOS do sexo feminino.

A categoria EF, para PILOTOS do sexo feminino, cilindrada e marca de motocicletas livre escolha. As ETAPAS serão validas para a categoria EF. Quantidade miníma de 3 pilotos

INFANTIL – até 9 anos, completos entre (01/01 a 31/12).

JUVENIL – de 10 a 14 anos completos entre (01/01 a 31/12).

ORDEM DE LARGADA
 

Os 20 (VINTE) pilotos melhores classificados no Ranking da GERAL do campeonato devidamente inscritos antecipadamente para a ETAPA sempre irão largar de acordo com a referida classificação, independentemente da sua categoria. Para a primeira etapa do ano será considerada a classificação da GERAL do ano anterior. Os demais pilotos, não incluídos nos 20 (VINTE) melhores da GERAL largarão por ordem de categorias e inscrição.

OBS: Poderão ser incluídos entre os 20 (VINTE) melhores da GERAL alguns “Pilotos Convidados” devidamente justificados e comprovados nos rankings dos Campeonatos Estaduais ou Campeonatos de destaque. Estes pilotos ou critérios deverão ser autorizados pela Direção de Prova.

O motoclub Redmoto projetou uma corrida aparentemente fácil à primeira impressão, em um percurso quase todo plano. No entanto, as pistas tornaram-se muito traiçoeiras pelas características do terreno: arenoso e cheio de buracos no Enduro Test, muito poeirento na pista de motocross onde decorreu o Cross Test e particularmente duro no Extreme. O último foi um teste muito rápido e longo, com duração de mais de sete minutos.

 

  • Brad Freeman veio a Kuressaare com a placa de ouro do líder do Enduro GP e ao longo do fim de semana, o britânico mostrou toda a sua tenacidade e determinação.

  • No dia da estreia, Brad Freeman fez uma corrida consistente, tentando não cometer grandes erros que pudessem comprometer o resultado da corrida.

  • Sua pontuação final foi um primeiro lugar na E3 e um segundo lugar no Enduro GP, a menos de nove segundos do vencedor.

     

  • No dia seguinte Freeman começou com muita determinação, registrando tempos muito bons desde as primeiras provas especiais. A batalha pelo primeiro lugar foi emocionante. Brad esteve na primeira posição durante todo o dia, mas infelizmente no final perdeu a primeira posição do GP de Enduro por apenas 0,45 segundos devido a alguns erros. O piloto britânico reforçou sua liderança no campeonato para 17 pontos sobre seus rivais.

  • Uma temporada difícil para Steve Holcombe neste momento, o piloto ainda se recupera de uma lesão sofrida em Portugal, onde quebrou uma das costelas, e na Estônia sofreu uma nova lesão no tornozelo. Por isso foi muito cauteloso durante toda a corrida. O objetivo de Steve no fim de semana era, portanto, coletar o máximo de pontos possível e sua pontuação final é de dois quartos lugares na classe E2.

  • Brad Freeman: “Não nego que a derrota dói mas essas são as corridas, às vezes você festeja as vitórias que chegaram na última especial e às vezes perde bem no final. Continuamos a liderar o GP de Enduro e aumentamos a vantagem e a liderança em a classe E3."

  • Steve Holcombe: “2021 começou com uma má estrela, também aqui na Estónia sofri uma lesão e fiz uma corrida difícil, complicada e longe do pódio e das minhas possibilidades. Infelizmente não há nada que possa fazer a respeito e espero recuperar para o GP sueco."

  • O campeonato mundial de enduro vai agora para Skovde, onde um incomum GP da Suécia será disputado na sexta-feira, 23 e no sábado, 24 de julho, enquanto o super teste está agendado para quinta-feira, 22 de julho.

Fim da terceira etapa do Mundial de Enduro com o GP da Estônia neste domingo (18/07), e o brasileiro Bruno Crivilin da Honda S2 Motorsports conquistou a 10a. posição nesta prova na Enduro1, vencida por Andrea Verona da Gas Gas, seguido por Davide Guarneri da Fantic e Samuele Bernardini. No EnduroGP ele finalizou esta segunda prova na 29a. posição, sendo que o vencedor foi novamente Josep Garcia da KTM, seguido por Brad Freeman da Beta, Andrea Verona da Gas Gas, Davide Guarneri da Fantic e Wil Ruprecht da TM.

 

Os demais vencedores desta segunda prova na Estônia foram: Josep Garcia (KTM) na Enduro2; Brad Freeman (Beta) na Enduro3; Lorenzo Macoritto (TM) na Junior; Lorenzo Macoritto (TM) na Junior1; Matteo Pavoni (TM) na Junior2; Abin Norrbin na Youth; Gonçalo Reis na Open 2S e Pritt Biene na Open 4S.

 

A rodada contou com passagens em 12 especiais (trechos cronometrados) no sábado e mais 12 no domingo, sendo um Extreme Teste, um Enduro Teste, um Cross Teste e o trecho do Super Teste. Foram quase quatro voltas completas de 70 quilômetros. “A categoria está bem pesada, com um nível muito alto. Afinal, é o principal campeonato do mundo”, lembra Crivilin, atual tricampeão brasileiro de Enduro na classe E1 e Enduro GP.

 

A maratona de Bruno Crivilin e de toda caravana do Mundial de Enduro continua nesta semana. “Vou descansar um pouco nesta segunda-feira e na sequência já viajo para a Suécia, local da próxima etapa”, conta o brasileiro. A quarta rodada da competição começa a partir desta quinta-feira (22/7), na cidade de Skövde.

A terceira etapa do campeonato Mundial de Enduro acontece neste final de semana (17 e 18/07) na Estônia. Neste sábado aconteceu o 1o. Estágio, e o brasileiro Bruno Crivilin da Honda S2 Motorsport garantiu a nona posição na categoria Enduro 1, vencida por Andrea Verona (Gas Gas), seguido por David Guarneri (Fantic) e Antoine Magain. Crivilin marcou a 23a. posição na EnduroGP, prova vencida por Josep Garcia (KTM), com Brad Freeman (Beta) em segundo e Andrea Verona (Gas Gas) em terceiro.

 

Os vencedores das demais categorias foram: Josep Garcia (KTM) na Enduro 2, Brad Freeman (Beta) na Enduro 3, Matteo Pavoni (TM) na Junior; Lorenzo Macoritto (TM) na Junior 1; Matteo Pavoni (TM) na Junior 2; Albin Norribin na Youth; Concelo Reis na Open2s;Pritt Biene na Open4s e Mika Karma na Open Senior.

A Triumph tem o prazer de anunciar que o desenvolvimento de uma gama abrangente de motocicletas de competição de Motocross e Enduro está bem encaminhada. Juntando-se à nossa linha de motocicletas líder de classe e renomada globalmente, esta nova família MX e Enduro de competição trará toda a experiência de engenharia da Triumph para pilotos e pilotos de todo o mundo.

 

Isso será acompanhado por um momento marcante para o mundo das corridas Triumph e MX e Enduro com um programa de corrida de fábrica totalmente novo da Triumph e um compromisso com as corridas de campeonatos de alto nível nas séries de Motocross e Enduro.

 

Vindo de mãos dadas com este compromisso de correr e vencer no mais alto nível no esporte, a Triumph tem o orgulho de anunciar que a lenda global do Motocross Ricky Carmichael e o pentacampeão mundial de Enduro Iván Cervantes se juntaram à família Triumph como parceiros ativos tanto no teste de bicicleta quanto na preparação para a corrida.

 

O anúncio do cronograma de lançamento e divulgação das motocicletas, bem como o programa das corridas e a história completa das vantagens dos produtos que as novas ofertas do Triumph MX e Enduro oferecem, seguirá nos próximos meses.

 

Ricky Carmichael: “Estou entusiasmado em anunciar que estou me juntando à família Triumph e ainda mais animado por fazer parte de seu novo empreendimento na categoria de produtos off-road. Esta é uma oportunidade incrível para me juntar a esta marca histórica, e estou honrado e honrado por fazer parte do desenvolvimento e lançamento de suas motocicletas off-road. Construir algo do zero é algo que realmente me intriga nesta fase da minha carreira. O que é impressionante para mim é a dedicação e paixão da Triumph em desenvolver um produto de primeira linha. “Todos com quem estive envolvido neste projeto, desde engenheiros, grupos de design, departamento de P&D. etc mostraram extrema paixão pelo que estão fazendo e essa é uma receita para o sucesso e algo de que adoro fazer parte. Todos nós compartilhamos a mesma paixão, e isso deve ser o melhor. Se você está familiarizado com a marca Triumph, você já sabe que a qualidade do artesanato é de primeira classe, e os modelos off-road seguirão o seu passado! Não são apenas tempos empolgantes para mim, mas também é um momento empolgante para a indústria off-road adicionar outra marca à mistura e as oportunidades que estão por vir para todos os consumidores off-road. Mal posso esperar para ver as reações quando esses modelos chegarem ao showroom da concessionária. ”

 

Ivan Cervantes: “Eu adoro as motocicletas Triumph desde pequeno, vendo-as nos filmes e na televisão. Portanto, trabalhar com a Triumph desde o início deste projeto é uma oportunidade incrível para mim, não apenas porque é trabalhar com uma das maiores marcas de motocicletas do mundo, mas também por fazer parte da construção de algo a partir do zero. É um sonho tornado realidade para qualquer piloto. Como eu, todos com quem trabalho na Triumph estão focados em fazer as motos o melhor que podem ser. Mal posso esperar para ver as motos competindo em nível mundial, mas também estou ansioso para ver quando poderei estar em uma concessionária Triumph e saber que fiz parte deste projeto muito especial. ”


TM Racing revelou atualizações para a gama de modelos EN enduro de nove fortes – mudanças radicais nas motos incluem novos chassis, caixas de câmbio e ajustes ergonômicos para melhorar a capacidade de controle.

O fabricante italiano TM Racing permanece decididamente pessoal e comparativamente pequeno em comparação com, bem, quase todos os outros. Mas isso não os impediu de deixar uma marca significativa no estágio mundial de enduro durante 2021 com uma nova equipe de corrida, TM Boano Racing, liderando o ataque e colocando os pilotos em todos os pódios da classe EnduroGP

 

Nem impediu a TM de introduzir algumas atualizações significativas na linha de enduro de nove modelos para 2022. Distribuída pelos seis modelos EN de dois tempos e três de quatro tempos, a lista de ‘novidades’ é longa, incluindo o chassi principal ‘, entradas de ar, atualizações ergonômicas significativas e ajustes em detalhes como apoios para os pés e alavancas de freio. Destaques do chassi do modelo MY22 TM Enduro:

Todos os modelos 2022 apresentam um quadro novo e mais leve com nova geometria para melhorar a estabilidade e uma nova posição de condução

Novos grampos triplos off-set

Novos plásticos reduzem a largura da bicicleta em 30 mm

Novo pára-lama dianteiro oferece melhor proteção contra a lama

Novo assento menor

Novos footpegs mais largos

Novo quadro auxiliar

Punhos de novo circuito

Pneus Maxxis como padrão

Nova luz traseira LED e suporte para placa de matrícula

Novo design e fixação do pedal de freio traseiro

tm_m3_8578

 

Destaques do motor do modelo MY22 TM enduro:

Novo motor com nova entrada de ar para melhorar o desempenho

Novos sistemas de injeção de combustível

Novo tanque misturador de óleo em modelos de dois tempos

Novo sistema de exaustão

Nova tampa do tanque de combustível

Novo sistema de fiação

Nova caixa de câmbio de seis velocidades em todos os modelos

 

A linha de modelos enduro TM começa com os bebês EN 125 e EN 144 cc, ambos com injeção de combustível de dois tempos. Existem também duas opções de dois tempos 250 e 300, com ou sem injeção de combustível basicamente com a EN 300Fi, a moto que atualmente está incendiando a série EnduroGP nas mãos do australiano Wil Ruprecht. Existem também três modelos com injeção de combustível de quatro tempos para escolher – EN 250, EN 300 e EN450.

 

Mais informações e o revendedor mais próximo: www.tmracing.it

A prova de Novo Horizonte, no Oeste de Santa Catarina, a terceira do calendário 2021, fez sucesso entre os participantes do Campeonato Brasileiro de Enduro. O evento é inédito na região e trouxe trilhas de alto nível técnico, marcadas por chão liso e raízes aparentes de árvores, além do frio, também típico do local. O piloto capixaba Bruno Crivilin, da equipe Honda Racing, foi o vencedor da categoria E1 – cuja liderança segue com o catarinense Loandro Anton (Pro Tork). Já na E2, o destaque foi o mineiro Rômulo Bottrel (Pro Tork), que com a vitória assume a liderança no ranking da classe.

Dentro e fora das trilhas, os objetivos foram atingidos, como mostra Maurício Brandão, promotor do Brasileiro de Enduro. “A prova foi bem recebida pelo motoclube responsável pela organização local, o Trilheiros do Horizonte, que mostrou muito esforço, dedicação e vontade de fazer acontecer. Mesmo com as dificuldades adicionais, por conta do momento que estamos vivendo em função da pandemia de coronavírus, o pessoal se esforçou e juntos conseguimos realizar todas as medidas preventivas. Tivemos o apoio total da Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Saúde, que viabilizou os testes para Covid-19 e a estrutura para dar a segurança necessária à população local e aos participantes”, conta.

 

Campeonato Brasileiro de Enduro 2021

 

Resultados (três primeiros) / 3ª prova – Novo Horizonte (SC)
 

E1 1º – Bruno Crivilin – 50 pontos

2º – Loandro Anton – 44 pontos

3º – Fernando Juruna – 40 pontos

 

E2 1º – Rômulo Bottrel – 50 pontos

2º – Ian Salazar – 42 pontos

3º – Anderson da Luz – 42 pontos

 

E3 1º – Nicolás Rodriguez – 50 pontos

2º – Vitor Borges Garcia – 44 pontos

3º – Cassio Moreto – 40 pontos

 

EJ 1º – Patrik Capila – 50 pontos

2º – Felipe Cantu – 44 pontos

3º – Bruno Schmitz – 40 pontos

E4 1º – Alexandre Valadares – 47 pontos

2º – Flávio Volpi – 45 pontos

3º – Felipe Legarrea – 42 pontos

 

E35 1º – Gustavo Pellin – 50 pontos

2º – Phabulo Calheiros – 42 pontos

3º – Felipe Wermuth – 42 pontos

 

E40 1º – Adriano de Ávila – 50 pontos

2º – Rodrigo da Silva – 42 pontos

3º – Pablo Zanchet – 42 pontos

E45 1º – Jober Zambialdi – 47 pontos

2º – Orlei Brazaca – 43 pontos

3º – Fernando Spindler – 40 pontos

 

E50 1º – Laurindo Zatorski Filho – 47 pontos

2º – Júlio César Pereira – 47 pontos

3º – Levi Tesch – 40 pontos

 

EAmador Nacional 1º – Bruno Campos – 50 pontos

2º – Gabriel Tizoni – 42 pontos

3º – Miguel Tizoni – 38 pontos

EAmador Importada 1º – Maurício de Quadros – 50 pontos

2º – Adriano Santana – 40 pontos

3º – Jonathan Araújo – 38 pontos

Ken Roczen é o novo líder na categoria 450

Ken Roczen foi o grande vencedor da segunda etapa do Lucas OIL AMA Motocross 2021. O alemão venceu as duas baterias e assumiu a liderança na categoria 450. Na classe 250 o vencedor foi Justin Cooper, mas Jett Lawrence manteve a ponta na classificação. A categoria fica sem um dos candidatos ao titulo, já que Jeremy Martin caiu na segunda bateria e vai passar algum tempo de molho.

250 - Jett Lawrence amplia liderança. Jeremy Martin fora da disputa

O dia foi dos céus às trevas para o piloto da Star Racing Yamaha Jeremy Martin. Após vencer a primeira bateria e assumir temporariamente a liderança na pontuação, caiu no início da segunda corrida e, com dores, decidiu operar o pulso (escafoide) que estava lhe incomodando há meses.
Justin Cooper venceu a etapa chegando em segundo em ambas as baterias. Superou Jett Lawrence (4-1) por um ponto no resultado de Thunder Valley. Já o australiano, mesmo sem vitória, abriu 10 pontos no campeonato e teve o prazer de comemorar o resultado ao lado de seu irmão no pódio. Hunter foi terceiro via 5-3.

Após a dança do calendário - oferecimento da pandemia - o Mundial de Motocross 2021 deu a largada na Rússia, com cerca de três meses de atraso ao tradicional início entre fevereiro e março. As provas da abertura foram todas concentradas no domingo incluindo as baterias de treinos classificatórios e baterias principais.O circuito de Orlyonok é naturalmente desafiador, mas durante as provas no fim de tarde o terreno ficou excessivamente escorregadio, principalmente a entrada da mesa de chegada, que derrubou vários pilotos
Tim Gajser atraiu todas as atenções no domingo russo. O piloto da Honda liderou todas as voltas da primeira bateria após ultrapassar Antônio Cairoli e Jorge Prado em uma só tacada. Daí em diante controlou a corrida e recebeu a bandeirada com 16 segundos de vantagem sobre Romain Febvre.

Mas foi na segunda bateria que a superioridade de Gajser em Orlyonok ficou mais evidente. Foi atingido por Jorge Prado na largada e lançado para fora da pista. Apesar de não cair, retornou ao combate na última posição e foi quando o show começou.
nas finais, inclusive favoritos.

No domingo (27/06) aconteceu a segunda prova do Mundial de Enduro na Itália (segunda etapa do campeonato), e o brasileiro Bruno Crivilin da Honda conquistou a oitava posição na sua categoria, a Enduro 1, que foi vencida por Andrea Verona da Gas Gas, seguido por David Guarneri da Fantic, Antonine Magain, Samuele Bernardini e na quinta posição, Davide Soreca. Lembrando que o brasileiro ficou com a sexta posição na prova deste sábado. Crivilin competiu também na categoria principal, a EnduroGP e foi o 26o. colocado.

Nos dias (26 e 27) aconteceu a segunda etapa do campeonato Mundial de Enduro, com o GP da Itália, e no sábado com a primeira prova da etapa, o brasileiro Bruno Crivilin (Honda) conquistou a sexta posição na categoria Enduro 1, prova vencida pelo italiano da Gas Gas, Andrea Verona, com o compatriota Davide Guarnieri (Fantic) em segundo e o belga Antoine Magain em terceiro. Crivilin participou também da categoria Enduro GP finalizando na 25a. posição.

Começa mais uma rodada do Mundial de Enduro para o brasileiro @brunocrivilin.

O capixaba, que subiu da categoria Junior, onde conquistou o terceiro lugar em 2020, para a categoria E1, está na sétima colocação no campeonato.

A prova na Itália terá quatro voltas e três especiais por volta: um Cross Teste, um Enduro Teste (cerca de 70% em descida, dentro de uma floresta na montanha e um Extreme Teste na beira de um rio, dentro da cidade.

Crivilin já participou de uma prova nesta mesma cidade de Edolo, aqui na Itália, quando disputou o Mundial em 2018.

MUNDIAL DE  ENDURO 2021 -DOMINGO

BRUNO CRIVILIN REPETE O RESULTADO DO SÁBADO E MELHORA SUA POSIÇÃO NA ENDURO GP

Neste domingo (20/06) aconteceu o segundo dia da primeira etapa do Mundial de Enduro em Portugal. O brasileiro Bruno Crivillin (Honda) participa da categoria Enduro 1, onde ele repetiu o resultado do sábado, finalizando na sétima posição na categoria, e 17a. posição na EnduroGP. O vencedor da Enduro1 foi Davide Guarnieri (Fantic), com Andrea Verona em segundo e Bernardini Samuele em terceiro. Na principal categoria, a EnduroGP, vitória neste domingo de Will Ruprecht da TM, seguido por Brad Freeman (Beta), Steve Holcombe (Beta), Josep Garcia (KTM) e fechando os cinco primeiros Jaume Betriu.

Convocação oficial: Motocross das Nações 2021

A Comissão Nacional de Motocross da Confederação Brasileira de Motociclismo (CBM) divulga a relação dos atletas convocados para o MXON - Motocross das Nações 2021. Considerada a "Copa do Mundo" da modalidade, um dos maiores maiores eventos off-roads do mundo acontece nos dias 25 e 26 de setembro, em Mantova, cidade na região da Lombardia, na Itália. O evento promovido pela Federação Internacional de Motociclismo (FIM) está em sua 74ª edição.

 

Se confirmados, Enzo Lopes, Fábio Santos, Hector Assunção e Gustavo Pessoa formam o Team Brazil. Todos são, hoje, destaque nas classes que correm. A expectativa é de que, com o nível técnico apresentado por estes atletas nos últimos anos, a Seleção Canarinho, como é carinhosamente apelidada, coloque o país entre os melhores do mundo. "A experiência mesclada com o momento que eles estão vivendo no esporte formam uma grande promessa para o Brasil", fala Wesley Magalhães, diretor de modalidade CBM.

RIEJU SIX DAYS 300cc  - edição especial

As motos da antiga GASGAS agora se chama RIUJE, seria uma GASGAS raiz, vamos assim dizer…

Rieju anunciou pela primeira vez que vai produzir uma edição especial do modelo SIX DAYS Italia MR 300 antes do 2021 International Six Days Enduro na Itália em agosto.

Depois de anunciar no início de 2021 que participaria oficialmente do ISDE neste verão na Itália com aluguel de motos e pacotes de assistência para os pilotos (a alguns preços incrivelmente competitivos), Rieju apresentou agora um MR300 Racing SIX DAYS Italia edição limitada.

A nova MR 300 SIX DAYS Italia adiciona à motocicleta de serie, peças exclusivas e um conjunto gráfico ISDE especial. Rieju disse que o modelo de edição limitada também é uma prévia do modelo 2022 MR 300 com algumas peças atualizadas.

Rieju afirma que produzirá 100 unidades da edição ISDE e estará disponível a partir de julho. Os preços ainda não foram divulgados.

Mundial de Enduro 2021 - SÁBADO

BRUNO CRIVILIN FECHA O SABADO NA 7ª POSIÇÃO NA E1 E 21ª POSIÇÃO NA ENDURO GP (GERAL)
 

"P7 no primeiro dia. Contente, mas ao mesmo tempo um pouco desapontado. Uma queda muito forte na primeira especial e um dia longo e muito duro, o @enduro_gp sempre vem com suas surpresas. Eu pensava que não iria me surpreender em questão de dificuldade de prova, mas uma vez mais está aí, o Mundial de Enduro. Andei forte em algumas especiais e bastante parte do dia, mas no final me faltou um pouco de força pra manter o ritmo, em especial na última volta. O bom é que deu pra ver que temos bom ritmo e podemos brigar por posições mais pra frente. Mas Mundial é assim mesmo, vamos descansar e vamos pra luta amanhã. Muito obrigado pelo apoio de todos." declarou BRUNO em seu Instagram @brunocrivilin

Rally Jalapão 2021

CHEGA AO FIM O RALLY JALAPÃO!
 

O percurso da quarta e última etapa do Rally Jalapão teve início em São Félix (TO) e contou com 469,93 km (212,40 deles de especiais). O piloto da Yamaha IMS, Adrien Metge (foto Claudiney Sandri/Yamaha) venceu pela terceira vez consecutiva na categoria Motos, seguido por Gabriel Bruning, Ricardo Martins da Yamaha, Bissinho Zavatti da Honda e Túlio Malta da Yamaha. Com este resultado, o campeão do Jalapão na categoria Geral Motos foi Bruno Pelizari, com Metge em segundo e Bissinho em terceiro. Na categoria Moto 1 primeiro lugar para Metge nesta última etapa, sendo que ele venceu a categoria. Na Moto 2 vitória de Bissinho nesta final, que também garantiu o título da categoria. Tiago Wernersbach da Honda venceu esta quarta etapa na categoria Brasil, conquistando o título do Jalapão. 

Ama MX 2021 - 3ª Etapa

Final da terceira etapa do campeonato americano de motocross que aconteceu neste sábado (19/06) no circuito de High Point, em Mt.Morris na Pensilvânia, com a segunda bateria da 450cc, sendo que no início da prova, Adam Cianaciarulo da Kawasaki, que venceu a primeira prova liderava, seguido pelo companheiro de equipe Eli Tomac, Dylan Ferrandis da Yamaha, Ken Roczen da Honda e seu companheiro de equipe Chase Sexton. Na metade da prova, Tomac ultrapassa Cianciarulo e abre uma vantagem de mais de 3 segundos, sendo que as demais posições continuavam inalteradas, com Ferrandis em terceiro, Roczen em quarto e Sexton na quinta posição. Fim da segunda bateria do dia, e vitória de Tomac, com Ferrandis em segundo, que vence a etapa, seguido por Roczen, Cianciarulo e Sexton. Com este resultado, Ferrandis assume novamente a liderança da categoria, com 4 pontos de vantagem sobre o segundo colocado, Roczen. Será que o estreante da 450cc no motocross, Ferrandis, vai levar o título? Ainda é cedo para prever, mas ele está no caminho certo.

Kawasaki "X" 2022

Kawasaki Off-Road 2022

Para 2022, a faixa de competição de duas motos da equipe verde de KX450X e KX250X novamente derivada de recursos dos irmãos do motocross, mas ajustados para off-road (configurações de suspensão mais macias, marcha mais curta, combinação de rodas off-road de 21 "/ 18", pneus Dunlop Geomax AT81 , componentes de freio, placa de proteção e suporte). Assim como com os modelos KX-F, os Xs permanecem inalterados em 2022.
 

Os pacotes de motor quatro tempos, cilindro único, DOHC e refrigerado a água, revisaram o mapeamento e as configurações para corridas off-road e apresentam uma partida elétrica e uma bateria de íon-lítio.

Ambos os modelos X usam uma transmissão de cinco marchas de relação estreita, mas com marcha mais curta do que as contrapartes MX, com uma relação de transmissão final de 51/13 (nos modelos 450 e 250).